Notícias

Simplificadas regras para dispositivos médicos

Lista inclui produtos como máscaras cirúrgicas, óculos de proteção, protetores faciais, respiradores e vestimentas hospitalares descartáveis, entre outros.Por: Ascom/AnvisaPublicado: 24/03/2020 16:10Última Modificação: 24/03/2020 16:22 A Anvisa simplificou os requisitos para fabricação, importação e aquisição de dispositivos médicos prioritários para uso em serviços de saúde. De acordo com as regras, fabricantes e importadores ficarão excepcionalmente e temporariamente dispensados de Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE) e da notificação das atividades à Anvisa, bem como de outras autorizações sanitárias. A medida foi motivada pela atual situação de emerg
CORRIDA PARA SALVAR VIDAS ABIMED

CORRIDA PARA SALVAR VIDAS

A rapidez com que o novo coronavírus se multiplica no país acende o alerta para a incapacidade do sistema de saúde brasileiro atender, no curto prazo, a todos os casos graves decorrentes da epidemia. A corrida dos governos estaduais e do Ministério da Saúde para aumentar a disponibilidade de leitos de UTIs tem obstáculos adicionais, já enfrentados por países com aumento exponencial de infecções: conseguir, em tempo recorde, os insumos e equipamentos necessários para o atendimento, principalmente ventiladores mecânicos. O temor é faltar velocidade na aquisição de novos respiradores — considerados essenciais no tratamento de uma doença que ataca os pulmões e provoca insuficiência respiratória — e na compra de equipamentos de proteção individual, como máscaras. No país, há 65 mil ventiladores, segundo dados do Ministério da Saúde, o que equivale a três equipamentos para cada dez mil habitantes. Desse total, 46,6 mil estão no SUS. A distribuição não é homogênea: o Distrito Federal e estados das regiões Sudeste e Sul —que concentram o maior número de casos — contam com uma proporção de respiradores acima da média nacional. Além disso, parte deles já é usada para atender a outros casos. Segundo dados da Associação de Medicina Intensiva Brasileira, a taxa de ocupação dos ventiladores disponíveis nos hospitais particulares é de 20%. No SUS, é de 50% a 60%.TEMPO EM VENTILAÇÃOSem os ventiladores, e a considerar a evolução de infecções no Brasil similar à de países como Itália e Espanha, equipes de emergência poderão se ver obrigadas a escolher, em um futuro não tão distante, quais pacientes ocuparão os leitos disponíveis com ventilador mecânico —enquanto outros acabarão deixados com cuidados paliativos ou à própria sorte. — É a maior preocupação. O mundo inteiro está comprando respirador neste momento — diz o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência de Coronavírus em São Paulo. Da primeira leva de 1.400 novos leitos de emergência que o governo de
Hospitalar decide prorrogar evento para segundo semestre ABIMED

Hospitalar decide prorrogar evento para segundo semestre

Em virtude aos últimos acontecimentos relacionados ao COVID-19, a Informa Markets, promotora e orga
ABIMED participa de evento da Boston Scientific ABIMED

ABIMED participa de evento da Boston Scientific

A ABIMED participou do evento de planejamento da equipe de urologia da empresa associada, Boston Scientific.A ideia é apresentar aos colaboradores a importância de uma empresas es

ABIMED faz palestra para colaboradores da 3M

A ABIMED foi convidada pela empresada associada 3M a palestrar aos colaboradores sobre a ética no setor da saúde.Davi Uemoto, g
Página 0 de 304)

Desenvolvido por MakeIT Informática