Notícias

  Querem usar dados de saúde sem pedir a você; relator teme falta de 'xerife' ABIMED

Querem usar dados de saúde sem pedir a você; relator teme falta de 'xerife'

Quando o ex-presidente Michel Temer sancionou a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), ele deu com uma mão, mas tirou com a outra. Por um lado, estabeleceu regras no Brasil para proteger a privacidade dos brasileiros, algo cada vez mais importante num mundo onde algumas das maiores empresas do mundo transformam seus dados em lucro. Por outro lado, barrou o órgão público que iria supervisionar se a legislação estava mesmo sendo cumprida e enquadrar os infratores.Só que Temer não deixou o país sem um "xerife da proteção de dados". No apagar das luzes de seu governo, no penúltimo dia útil de dezembro do ano passado, editou uma Medida Provisória 869/18 para criar a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).Não sem surpresas. Os parlamentares que correm para tirar a entidade do papel antes que a MP caduque enfrentam pelo menos três alterações trazidas por Temer:a diminuição do grau de autonomia da autoridadea permissão para que empresas de saúde manipulem seus dados sem você autorizara impossibilidade de você pedir que um ser humano revise as decisões tomadas por um sistema automatizado, ou seja, um robô.O UOL Tecnologia conversou com o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), relator da MP na comissão mista criada para tratar do assunto. Não é a primeira vez que ele se depara com o tema, já que foi o relator da LGPD na Câmara. Talvez por isso, ele tenha uma opinião forte sobre a decisão de Temer: "Eu considero que foi um erro [ter vetado a ANPD], mas o presidente da República à época usou da prerrogativa que ele tinha."Fabio Braga/FolhapressDeputado Orlando Silva (PCdoB-SP), relator da MP para criar a Autoridade Nacional de Proteção de DadosImagem: Fabio Braga/FolhapressPara ele, o Brasil ficou no prejuízo ao elaborar uma lei de proteção de dados sem criar, ao mesmo tempo, uma entidade que vigie por sua aplicação.Os efeitos da LGPD passam a valer apenas em agosto de 2020, mas os congressistas têm até junho para aprovar o "xerife da proteção de dados" antes que a MP perca a validade. Ele deve apresentar seu parecer sobre o assunto nesta quarta-feira (24). Veja abaixo os principais trechos da conversa:UOL Tecnologia - Qual é a importância da Autoridade Nacional
Hospitalar 2019 traz novos modelos de negócios focados no engajamento do paciente ABIMED

Hospitalar 2019 traz novos modelos de negócios focados no engajamento do paciente

A mudança dos modelos de negócios na área de saúde com foco na experiência e no engajamento dos pacientes é o tema central da 26ª edição da Hospitalar, o mais importante evento de saúde das Américas, que acontece entre os dias 21 e 24 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo.Parte da plataforma de negócios e networking conduzida pelo Grupo Informa Exhibitions, a Hospitalar contará com mais de 40 eventos simultâneos e mais de 1.200 marcas expositoras, que terão como temas desde as novas tecnologias na saúde até os avanços da atenção domiciliar e na saúde suplementar e corporativa, entre outros. A expectativa é de receber pelo menos 85 mil visitas de profissionais de mais de 50 países, durante os quatro dias de congressos e exposições.Segundo Vitor Asseituno, diretor de Mercado da Informa Exhibitions, um novo sistema de Saúde está sendo desenhado em cima de resultados, experiência, engajamento e tecnologia – todas as diretrizes com espaço de discussão na Hospitalar.“Cada gestor precisa saber qual será seu papel nesse novo cenário. Trabalhar da mesma maneira como se fazia há 20 anos não funcionará e, acima de tudo, não será aceito”, afirma.Para o executivo, diante dessa nova realidade da saúde, devem ser cada vez mais frequentes os debates sobre as mudanças promovidas no setor devido, sobretudo, ao maior uso de tecnologias, aos custos crescentes, à necessidade de adoção de novas abordagens e à transformação da cadeia de valor anteriormente estabelecida no setor.“É por meio desses debates, como os que acontecerão na Hospitalar, que temos a oportunidade de levar conhecimento, boas práticas e discussões para todos os participantes. O conteúdo é, para nós, a principal via para ajudar na transformação do setor como um todo”, completa.Engajamento do pacienteLevando em

XI Congresso Internacional Six Sigma Brasil homenageará Gestor do Ano

Renato Garcia Carvalho, CEO da Philips, receberá a homenagem ao vivo em cerimônia exclusiva, onde também falará sobre gestão e economiaO ano de 2018 foi bastante desafiador para as empresas brasileiras. A economia do país apresentou um crescimento de apenas 1,1%, bem abaixo das projeções iniciais dos analistas consultados pelo Banco Central. Alto desemprego e a piora da percepção de risco de investimento também marcaram o período. Mas neste cenário conturbado, teve quem desafiasse qualquer lógica e andasse na contramão do mercado. É o caso da Philips, que atingiu em 2018 o seu melhor resultado no Brasil. À frente da empresa, o CEO Renato Garcia Carvalho será homenageado como o gestor do ano durante o XI Congresso Internacional Six Sigma Brasil, que será realizado em São Paulo, nos dias 23 e 24 de maio de 20
Debate sobre a LGPD e os impactos no setor de produtos para saúde ABIMED

Debate sobre a LGPD e os impactos no setor de produtos para saúde

A intensa participação do público reforçou a importância do tema e a necessidade de realização de outros fóruns para aprofundamento desta discussão. Segundo Davi Uemoto, a ABIMED i

ABIMED na Hospitalar - Painel “A tecnologia no engajamento e experiência do paciente”

Como a indústria do futuro está se preparando para o futuro? Como será a medicina que atenderá os pacientes que estão nascendo hoje? Como engajar a população nessa nova realidade? Quais são as principais linhas de pesquisa? Quais as tendências?Para responder essas e outras pe
Página 0 de 289)

Desenvolvido por MakeIT Informática