Notícias

Associações de Alta Tecnologia em Produtos para Saúde do Brasil e do Reino Unido assinam memorando de entendimento

A ABIMED - Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para a Saúde e a Associação Britânica de Indústrias HealthTech (ABHI) compartilham o propósito comum de melhorar o acesso dos pacientes às tecnologias avançadas em saúdeAs associações setoriais que representam as indústrias de alta tecnologia em produtos para a saúde do Brasil - ABIMED - e do Reino Unido - ABHI - assinaram um Memorando de Entendimento (MoU), que facilitará a colaboração entre as duas entidades. O objetivo da parceria é atuar nas principais áreas comuns, incluindo regulamentações globais e sustentabilidade ambiental.De acordo com Fernando Silveira Filho, Presidente Executivo da ABIMED, “Associados da ABHI também são membros da ABIMED, por isso é importante que nos esforcemos para alcançar condições que suportem a indústria de alta tecnologia em equipamentos de saúde e, principalmente, garantir que os produtos cheguem a quem precisa. A ABHI apoia a comunidade HealthTech para melhorar e salvar vidas, e a missão da ABIMED é melhorar o acesso da população às tecnologias avançadas de saúde, visando qualidade de vida e longevidade. Queremos o mesmo, e, por meio deste MoU, vamos trabalhar juntos para atingir esse objetivo”.Peter Ellingwor

Diálogos ABIMED promove debate sobre o cenário tributário do setor de dispositivos e equipamentos médicos

A Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde realiza o Diálogos ABIMED “O Cenário Tributário do Segmento de Equipamentos e Dispositivos Médicos e a Reforma Tributária” no dia 24 de maio com a participação do presidente da Frente Parlamentar pela Reforma Tributária e especialistas A pedido da ABMED, a LCA Consultoria realizou no ano passado um estudo para descrever os cenários tributários de equipamentos e dispositivos médicos. O levantamento foi finalizado e a Associação apresenta os resultados do estudo “O Cenário Tributário do Segmento de Equipamentos e Dispositivos Médicos e a Reforma Tributária” em mais uma webinar do Diálogos ABIMED marcada para o dia 24 de maio, das 10h30 às 12h. O evento será aberto mas requer inscrição

Após forte atuação da ABIMED, Assembleia paulista autoriza a isenção de ICMS para compra de insumos por instituições de saúde

Associação não tem medido esforços no diálogo para que equipamentos voltem a ser isentos de ICMS no Estado de São Paulo Um dos grandes esforços da ABIMED desde que o governo de São Paulo elevou de zero para até 18% o ICMS tem sido dialogar com todas as esferas para que a isenção volte a ser considerada nos equipamentos de alta tecnologia médica. Foram acionadas a Secretaria da Saúde, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Projetos, Orçamento e Gestão, além da InvestSP, sempre com o pleito de que fosse realizada uma avaliação particularizada e cancelado o Ato que desencadeou no aumento da tributação dos equipamentos em hospitais, clínicas e santas casas públicas de saúde. Leia mais

Prefeitura de SP inicia nesta quarta a vacinação contra a Covid-19 para profissionais de saúde autônomos com mais de 30 anos

Cerca de 50 mil profissionais devem ser imunizados com doses da Pfizer e Astrazeneca. Prefeitura de SP vai fazer parceria com o Instituto Butantan e o Instituto de Medicina Tropical da USP para realizar um novo estudo para detectar novas variantes do coronavírus. O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, anunciou o início da vacinação para profissionais de saúde autônomos com 30 anos ou mais a partir desta quarta-feira (19) na capital paulista. Cerca de 50 mil profissionais serão imunizados com doses da Astrazeneca e da Pfizer."A partir de amanhã nós vamos iniciar a vacinação dos profissionais de saúde autônomos que tenham 30 anos ou mais na nossa rede das 468 UBSs. São os profissionais listados no PNI [Plano nacional de Imunização]: dentistas, médicos, enferm
Vacinação e o Impacto na Relação de Trabalho ABIMED

Vacinação e o Impacto na Relação de Trabalho

Nos próximos meses é muito provável que o assunto “vacinação” ganhe grande destaque dentre os assuntos debatidos pelos gestores de Recursos Humanos, na medida em que o Plano Nacional de Imunização (PNI) ganhará maior volume e passará a abranger um número cada vez maior da população ativa das empresas.

O fato é que as empresas passarão a se deparar com questões relacionadas à vacinação, seja a partir do momento em que o setor privado estiver apto a efetivamente comprar as vacinas, seja quando passarem a ter cada vez mais empregados abrangidos pelo PNI.

Espera-se grande aderência à vacinação e pouca recusa. Porém, é muito importante que as empresas estejam preparadas, preventivamente, caso tenham empregados que se recusem a tomar a vacina.

E por quê? Porque o empregador é responsável por garantir a seus empregados um ambiente saudável e seguro, conforme prevê a legislação trabalhista. Então o empregador poderá ser responsabilizado caso algum empregado se recuse a tomar a vacina? A depender da situação sim.

O Supremo Tribunal Federal (STF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) já se pronunciaram sobre o tema e reconheceram a obrigatoriedade da vacinação, devendo o interesse coletivo prevalecer sobre o individual. Também foi esclarecido que “vacinação obrigatória” não significa “vacinação forçada”. O

Página 0 de 319)

Desenvolvido por MakeIT Informática