Notícias

ABRAIDI e Instituto Ethos lançam Acordo Setorial

O Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos, que reúne as principais empresas do setor de dispositivos médicos, foi lançado no auditório da CNTC, em Brasília, com mais de 250 pessoas, entre signatários, representantes dos ministérios da Saúde, Justiça, OAB, Ministério Público, agências reguladoras, Tribunal de Contas da União, parlamentares, entidades de classe, como ABIMED e ABIMO, empresários e executivos de companhias. A iniciativa é da Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes – ABRAIDI – e do Instituto Ethos. O Acordo Setorial prevê, pela primeira vez no país, a criação de um programa voltado para o fortalecimento de um ambiente de negócios ético e transparente na comercialização de produtos médicos e levou mais de dois anos para ser estruturado. Para o diretor-presidente do Instituto Ethos, Jorge Abrahão, que abriu a solenidade, o Acordo pode contribuir para uma mudança histórica nos cenários nacional e do setor que lida com vid

Denis Jacob, presidente do Comitê de Ética da Abimed, é entrevistado pela Scrip Regulatory Affairs

Brazil presses on with anti-corruption drive 01 June 2015 Neena Brizmohun Pharmaceutical and medical technology companies operating in Brazil can expect to see the implementation of additional measures relating to anti-bribery rules in the country. Following the Clean Companies Act, which came into effect in January 20141, ""there is still some discussion related to improvements on the application of the law"", according to Denis Jacob, compliance officer Americas and Europe at BD and chairman of the Brazil Compliance Work Group at US medical device industry association AdvaMed. The discussion concern matters ""such as the use of leniency agreements and the consistency of the enforcement within several government agencies"", Mr Jacob told Scrip Regulatory Affairs, adding that ""those matters should be adjusted along

Sociedades médicas pedem aval para mais tratamentos

Sociedades médicas de diversas especialidades estão mobilizadas para tentar fazer a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) mudar de ideia sobre a inclusão de novos procedimentos no rol. Desde sexta feira – e até o próximo dia 19 –, continua em consulta pública a proposta da agência de incluir 11 novos procedimento na lista de coberturas obrigatórias dos planos de saúde.O número, no entanto, frustrou as entidades médicas que viram vários pedidos de incl

As novas fronteiras farmacêuticas são tema de simpósio

O auditório da Anvisa, em Brasília, sedia o IV Simpósio Novas Fronteiras Farmacêuticas nas Ciências, Tecnologia, Regulamentação e Sistema de Qualidade. O evento, que ocorre nestas segunda (22/6) e terça-feira (23/6), reúne palestrantes internacionais para discutir temas de interesse da indústria farmacêutica e dos técnicos da Agência, como classificação biofarmacêutica e regulamentação farmacêutica, entre outros.O Simpósio, que conta com o apoio da Anvisa, é uma iniciativa do Sindusfarma em parceria com International Pharmaceutical Federation (FIP).Na abertura do evento, o Diretor da Anvisa Renato Porto ressaltou a importância da troca de experiências, bem como a necessidade de constante atualização dos profissionais que trabalham nas áreas da saúde.“Temos a responsabilidade de dar qualidade para a vida do cidadão. E esta parceria entre a Anvisa e o Sindusfarma é absolutamente importante para o desenvolvimento científico do país”, assegurou.O intercâmbio de experiências

Lentidão da Anvisa já traz desabastecimento

O atraso na liberação, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de insumos importados está prejudicando desde o início do ano a indústria farmacêutica, levando até ao desabastecimento de produtos como os kits para diagnóstico da dengue. A espera pela chamada “anuência sanitária”da agência reguladora aumentou de menos de uma semana corrida para até 30 dias úteis, de acordo com a Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL), que representa 40 empresas do setor.A situação é particularmente crítica nos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e do Galeão. “Faltam funcionários na Anvisa para fazer a liberação dos produtos importados”, afirma Carlos Gouvêa, presidente executivo da CBDL. “O quadro da agência tinha muitos servidores federais cedidos por outras autarquias e órgãos federais,alguns deles já extintos. Uma grande parte se aposentou e não houve preenchimento das vagas em aeroportos”.Por utilizar matérias-prima
Página 0 de 298)

Desenvolvido por MakeIT Informática